Diário / Diary

2011

Nesta página poderá seguir-nos diariamente até ao final da expedição (2011).
You can follow us here everyday from today on until the end of the expedition (2011).
 
Último dia na Terra da Boa Gente
 
Kanimambo
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Penúltimo dia
"Now this is not the end."
"It is not even the beginning of the end. 
"But it is, perhaps, the end of the beginning."

Julho 13
É sempre presente a voz de quem nos falta. 
Julgo que apenas fui uma criança feliz enquanto vivi tudo pela primeira vez e, apesar de ser quase tão óbvio como curioso pensar que houve uma primeira vez que olhei para lua, que comi um gelado ou que ouvi o eco duma pedra a bater no fundo dum poço, parece triste saber que só alguns continuam a sentir esse constante espanto pela maravilha que nos rodeia. 
É, é isto. 
O universo faz sentido e o nosso tempo deve servir apenas para deixar conhecimento e beleza novos ao mundo, tudo o resto é trivial. 
Nada tem maior valor do que o brilho nos olhos de alguém que percebeu algo de novo e nada há de mais generoso do que dedicar a vida a conhecer o mundo para que os outros se maravilhem com isso. 
Há memórias que nunca se apagam e continua presente a voz de quem nos falta. Prefiro fazer ciência a ouvir falar dela. É quase sempre assim, em tudo, mas enquanto penso nisto pela primeira vez, sei que é um privilégio nunca desistir de ser criança.

Julho 12
A realidade é outra num céu diferente, a lua não mente e a moral, essa, revela-se pequena e particular. 
Pouco há a fazer quando os costumes nos são estranhos e a surpresa se antecipa a qualquer reacção mais coerente. 
Dia de Palestra Pública, com letra maiúscula e no Hotel VIP que tem mais impacto, claro está, com direito a anúncio de meia página, gordo e a cores, no Notícias. 
Algumas caras conhecidas por entre outros tantos olhos atentos ouvem sentados a introdução atrasada onde as palavras, simples e claras, são novidade e todos querem saber mais. 
Parece que somos mais ricos do que pensávamos e há muito por descobrir. 
O Diictodon que ilumina a sala projecta-nos de volta ao nosso passado distante de pedras, ossos e origens. Somos humanos, sinapsídeos e curiosos. 
A imagem do bicho, roubada a um colega, serve o propósito estimulando a discussão e aguçando a curiosidade. 
Mais algumas respostas intercaladas e uma salva de palmas alegra a sala. 
Gostaram, nós também. 
De volta ao Turismo o elevador encrava e a sirene de incêndio dispara. 
Falso alarme mas o pânico cresce e há já quem se deite no chão para encontrar ar no respirador que roça os nossos tornozelos. 
Eu não passo bem, não passo bem. 
As portas abrem no décimo e chegamos ao quarto onde uma última lição nos aguarda. 
Nunca nos podemos esquecer, a porta não pode estar aberta. O hotel não permite, pode entrar mosquito.

Julho 8 e 9
O Bom.
O Mau.
E o Vilão.
O carro partiu o esticador e voltámos para casa mais cedo.

Julho 7
No cu de Judas… é assim que o estrangeiro se sente. A sensação oposta: a do conforto, a da consternação empalidecida, causada pelo aninhar das mesmas ruas, dos mesmos prédios, das mesmas luzes, do mesmo calor, do mesmo sol, que nos envolvem num tecido de seda panglossiano que sabe tão bem... e que, no final de contas, não é mais do que um reflexo, é o esquecimento do que é estar e ser-se num outro sítio que não ao que estamos habituados.
Camus falou de se ser estrangeiro na própria terra. De alguma forma isto é: comer pastéis de bacalhau e já não se lhes sentir o sabor; ir à praia, ficar bronzeado e exibi-lo aos amigos; é a incapacidade de se compreender se o que afinal está errado é chorar-se no funeral ou se ter morto o árabe – tal como canta Camus. Mas bom deixemo-nos de metafísica porque como disse alguém bem mais lúcido que ele: “a metafísica é a consequência de se estar mal disposto”... e é uma pena Camus não ter sequer comido camarões da Inhaca nem lagosta da Costa do Sol porque em dia de marisco estragado aprenderia certamente o que é a náusea de que tanto fala.
Agora, aquilo que continuo a não compreender em Moçambique é sentir-me em casa, não estando em casa. Alguém me pode explicar isto, bolas? Que cu de Judas é este que nem Camus compreenderia, nem Lobo Antunes se atreveria a chamar assim?
[apologies to the English speakers: after Portugal has been considered "garbage" according to Moody's on the 6th without any logical, fundamented, compelling, acceptable, convincing reason, we also -- without any reason -- will not translate this last post. Portuguese is a good language to learn too].


Julho 6
Chegou. Depois de uma luta diária de duas semanas o Salimo já tem visto. 
Nada de exageros, trinta dias, que agora é lá que mora e é lá que tem de tratar do carimbo até ao final do ano. 
Nada mudou no reino da Dinamarca. 
Mais espuma, mais reforço, mais madeira e as caixas estão prontas a seguir.
- Já só falta o símbolo de frágil, amanhã tratamos disso.
A mistura de frio do mar da Inhaca, vento e pó do quarto foi explosiva e os pulmões ressentiram-se, há dois dias que não saem do hotel. Quando regressamos espera-nos mais tosse e dores de peito com o serão a terminar no ICOR. Cinco minutos de espera e saímos com xarope, anti-histamínicos, pastilhas de mentol e comprimidos para dormir.
 
 
Julho 5
Choveu, e enquanto a distância tolda a memória de casa é necessário saber sempre o que há para fazer quando se fica sem um camarada porque os pulmões se queixaram. 
O dia começa cedo com apertos de mão seguidos de trocas de esperanças escritas em cartões pessoais. Depois das apresentações iniciais a conversa voa para descrições de animais extintos há milhões de anos, ainda antes dos primeiros dinos
sauros pisarem a Terra. 
- Descobrimos vários sinapsídeos e, como somos mamíferos, todos nós pertencemos a este grupo. Desde a baleia azul ao morcego-nariz-de-porco, todos somos sinapsídeos a diferença é que estes se transformaram em pedra.
O ar impressionado dá lugar a um fascínio crescente e revela um sorriso cúmplice que, em silêncio, tudo diz.
Sabemos que teremos resposta e que a probabilidade de virmos a devolver a expressão é elevada. 
Veremos.
No carpinteiro as caixas estão prontas, foram reforçadas e os fósseis aguardam que a espuma seja cortada para saltarem lá para dentro. Escreve-se a morada e bolinam-se os últimos detalhes enquanto cai a noite.
De volta ao hotel já só há tempo para comprar três laranjas e algumas bananas. Pode ser que as vitaminas ajudem a limpar os brônquios traiçoeiros.

It rained, and while the distance from home distorts our memories it is necessary to know what to do when we don't have a comrade because its lungs are complaining.
The day starts with handshakes and an exchange of hope materialized in personal cards. After our initial presentations the conversation flies towards descriptions of extinct animals.
- We found several synapsids and, because we are mammals, we all belong to that group. From the blue whale to the flying bat we are all synapsids and the difference is that these have transformed into stone.
The impressed look shifts into a growing fascination and reveals a smile that, in silence, says everything.
We'll see.
The carpenter has finished the boxes , they were reinforced and now the fossils wait while we cut the foam to protect them. Write the address, polish up the final details while the night falls from a precipice.
On the way back to the hotel we only have time to buy a few bananas and oranges . Possibly some vitamins will help the betraying lungs.



Julho 4
A última coisa que se quer quando se vem para África é ficar no quarto de hotel, com uma tosse violenta que é uma reminiscência de uma constipação desnecessária, olhando o cursor do word piscando enquanto se pensa o que escrever para a crónica de ontem. Acabar o livro do Lobo Antunes parece uma opção oca, ouvir kuduro Angolano soa a uma programa sem esforço, ou simplesmente ligar a televisão e ouvir as notícias de Portugal... os grandiloquentes discursos sobre a crise financeira, as ideias mágicas do novo governo sobre o futuro... tudo isso parece demasiado distante e, por isso, demasiado sem sentido para me causar um sobrancear que seja. Há tanto para fazer: para o Projecto PalNiassa nós dedicamos tempo somente a uma bacia sedimentar... Argh, a minha tosse...

July 4
The last thing I envisioned about coming to Africa was to be in the hotel room for the day, with a violent cough as the reminiscence of a cold, watching  the cursor of my computer blinking while thinking about what to write for yesterday's chronicle. Finish reading Lobo Antunes book seems like a hollow option, listening to Angolan kuduro sounds like an effortless program, simply turn on the television and watch the news from Portugal... grandiloquent speeches about financial crisis, new government magical ideas about the future... all that is too distant and thus too meaningless to even make me frown. There is so much to do: for the PalNiassa Project we've only dedicated enough time for prospection in one sedimentary basin... My cough will get better.


Julho 3
-Têm de ir à Inhaca, têm mesmo.
É uma ilha maravilhosa, a natureza pura e crua à nossa frente. Podem ver golfinhos, baleias, tubarões. Há lá tudo: tartarugas, corais e peixes sem fim. Façam mergulho é um espanto.
Têm de ir à Inhaca é já ali, duas horas de barco e pronto.
Têm mesmo de ir.
Fomos, e tínhamos mesmo de ir.

- You gotta go to Inhaca, you really do. It is a beautiful island, pure nature. You see dolfins, whales, sharks. Everything: endless turtles, corals, and fishes. Snorkle, you'll like it. You gotta go to Inhaca it is right there, two hours sailing and that is it. You really gotta go!
We went, and we really had to to be there.

Julho 2
A arte de regatear. Assim que se pisa o solo Africano, temos de fazê-lo... negociar o preço do táxi do aeroporto para o hotel, a comida, tudo se regateia ... Caramba! Um mau negócio! Como é que pagaste metade do preço pela mesma coisa que eu?
É um equilíbrio delicado entre argumentos sobre a qualidade dos materiais, compreensão pela profissão do vendedor, manter o bom humor, fingir uma enorme indignação quando um preço proposto é muito alto e tudo o resto faz um bom negócio. Desde que você esteja feliz com o preço e o vendedor pareça feliz, fez-se um bom negócio. O melhor para não se deixar encantar com a miríade de vendedores que o cercam como grous que gritam é ter uma pequena ideia do que quer antes de pisar a arena. Certifique-se também que não começa a regatear algo que tem a certeza que não vai comprar. Estará apenas a fazer o vendedor perder tempo. Pode ser muito divertido ... é como se estivesse em palco a dar espectáculo para quem passa. O público aplaude assim que se fecha o negócio!

July 2
Art of bargain. Once you step on African soil, you gotta bargain... bargain the price for the taxi from the airport to the hotel, bargain the food, bargain everything... Damn it! Such a bad deal! How come you paid half for the same thing I got?
It is a delicate balance between arguments of materials quality, sensibility to the vendor's profession, keeping the good humour, faking enourmous indignation when a proposed price is too high, and all that jazz that makes a good bargain. As long as you are happy with the price and the vendor seems happy with the price, then you've made a good deal. The best to not be enchanted by the myriad of vendors that will surround you like cranes grunting is to have a slight idea of what you want before you step in the arena. Make sure also you don't start a negotiation you are already sure you are not going to buy anything, you're just wasting vendor's time. It can be a lot of fun... it is like you are on a stage giving your best drama to the audience. The audience applauds once you've made the deal!

Julho 1
Se, no lugar de qualquer preconceito pudéssemos colocar uma prudente ausência de espectativas, não teríamos desilusões, mas pena viria de nem o espanto ter sentido. 
As referências à situação geopolítica na África austral sucedem-se e vêmo-nos mergulhados em nomes, tratados e negociações desconhecidos. O almoço, no mercado do peixe, serve-se só depois de escolhida a garoupa. Enquanto grelha esperamos e o cartão de visita de Moçambique é servido como entrada. Camarão tigre, grande, gordo e fresco.
Se dúvidas houvesse fica a certeza que a humanidade é muito mais igual que diferente e lá por termos passado o equador e a estrela polar deixar de ser visível o que nos orienta é sempre o mesmo. 
Todos admiramos a beleza, a inteligência e a audácia. Poderá existir combinação mais irresistível e perigosa?
O dia começou na Universidade Eduardo Mondlane.
Nove e meia em ponto, temos o auditório meio cheio e dez minutos depois já há pessoas sentadas no chão. Não sabemos o que nos espera mas, ao que consta, em periodo de exames é inédito.
Passada uma hora a falar sobre aberturas crânianas e filogenética, suspeitamos que a mensagem possa não ter sido a melhor para um público essencialmente composto por geológos.
O erro é nosso e o silêncio dá lugar a um bombardemento de dúvidas e sugestões críticas. Desde a Evolução das espécies à tectónica de placas estamos rodeados de interesse e, se ao almoço foi a garoupa e o camarão tigre que nos deliciou, ao inicio do dia foram as perguntas e a motivação de todos por saber mais que alimentaram o nosso espanto.
Sempre que ouvimos dizer que a ciência fundamental não tem interesse, convencemo-nos que quem não tem interesse são as pessoas que passam a vida a repetir isso.

July 1
If instead of a preconception we could pose a prudent abscence of expectations and thus there would be no delusions, but the frustration of not even getting surprised would certainly arise.
Multiple references to the geopolitical situation in Austral Africa are thrown to us, and we find ourselves immersed on names of politiatians, treatises, and unknown negotiations. The lunch in the fish market is served only after the grouper is chosen. While it is being grilled, we wait and the ex libris of Mozambique is served as a hors d'œuvre. Big, fat and fresh tiger shrimp.
Humanity is way more similar than different and even if we crossed the equator and the polar star becomes invisible what guides us is still the same. We all appreciate the beauty, intelligence and audacity. Is there any more powerful and irresistible choice?
The day starts at Eduardo Mondlane University.
Precisely at 9:30am, the auditorium is half full and ten minutes later there was already people sitting on the floor. We don't know what is waiting for us, but it seems unforeseen for the finals period.
After one hour talking about skull fenestration and phylogenetics there is a wave of doubts and suggestions. From Evolution of species to plate tectonics we are all surrounded by interest and, if at lunch hour it was the tiger shrimp that delighted us, in the beginning of the day it was all the questions and motivation instead.
Everytime we hear saying that pure science is of no interest, we quickly conclude that what is of no interest is those who claim so.

Junho 30
E é no último dia de Junho que estamos e já sentimos mais o país e as pessoas. Estamos em casa.
Há quase qualquer coisa de estranho na proximidade das classes dirigentes com o povo. Tudo parece natural e honesto. As oportunidades existem e embora não seja possivel escrevê-lo, a quem meia palavra bastar facilmente perceberá que o projecto vai crescer.
Entre o Carbonífero e o Pérmico, no Museu Nacional de Geologia, há duas vistas para a avenida 24 de Julho. Entre as janelas está a vitrine onde alguns fósseis de sinapsídeos ficarão orgulhosos a descansar. Há que tratar de os limpar e iluminar. Como se o Sol africano que passa pelas duas grandes janelas não bastasse, o móvel apresenta seis pontos de luz e temos que lhe fazer chegar corrente.
Como é claro, é já sem qualquer surpresa que encontramos nos detalhes as mais fortes lições a aprender.
Um cabo eléctrico tem sempre duas pontas, uma de cada sexo. Ligar o móvel é simples, basta passar o cabo por ali, pegar na ponta macho e... BANG! O mindinho e o anelar estalaram num grito que chegou ao jardim. Tem sempre duas extremidades, mas nem sempre de sexos opostos.
Às vezes é melhor ter a certeza sobre o número de machos que está numa sala antes de se querer estabelecer qualquer tipo de ligação.
Amanhã com dois dedos dormentes há uma palestra na Universidade Eduardo Mondlane para alunos e professores. Esperemos que ninguém goste de apertar a mão com força.

It is the last day of June and we feel more of the country and the people. We are at home.
There is something strange between the ruling classes and the people. Everything is natural and honest. There are lots opportunities, and the project will grow.
Between the Carboniferous and Permian stands in the National Museum of Geology, there are two views of the Avenue July 24. Between the windows is the stand where some synapsids will now rest. The sun passes through two large windows but it is not enough, the cabinet features now six points of light.
It is not surprising that we find in the details the strongest lessons to learn.
An electrical cable always has two ends, one of each sex. Connect the handset is simple, just run the cable through there, take the male end and... BANG! Thepinky and ring fingers popped a cry that came to the garden. Always has two ends, but not always of the opposite sex.
Sometimes it is better to be sure about the number of males who are in a room before you want to establish any connection.
Tomorrow with two numb fingers for a lecture at the University Eduardo Mondlane for students and teachers. Hopefully no one likes to shake hands with force.


Junho 29
Paleontologia de escritório: este é o termo correcto para descrever o que temos feito. Interessante? Nem por isso. Necessário? Sem dúvida. Como resultado, a majestosa ideia de livre arbítrio rapidamente perde sentido.
- Então o que estão a fazer em Moçambique?
- Estamos cá para estudar fósseis.
- Ah! Fossas... aqui há muito trabalho para fazer...
- A sério? Onde?
- Vocês terão imenso trabalho aqui! Às vezes as tampas das fósseis sépticas saltam e temos de limpar tudo.

June 29
Office Paleontology: that is the right term to describe what we’ve been doing. Interesting? Not really. Necessary? No doubts. As a result, the majesty of the idea of free will quickly becomes meaningless. 
– So what are you doing here in Mozambique?
– We came here to study fossils. [the Portuguese word for fossils is “fósseis” which is quasi-homophonous to the word “fossas”, meaning septic tank]
– Ah! “Fossas”… there is lots of work to do here…
– Oh really! Where?
– You guys will have lots of work here! Sometimes the sealing of the tanks jump out and we have to clean it all.


Junho 28
Pela manhã, visita de apresentação ao Laboratório Nacional de Geologia. Bom espaço, bom equipamento e mais de duas dezenas de funcionários para analizar as amostras recolhidas. O potencial é enorme e os meios começam a existir.
Caminhar por Maputo é estar cercado de beleza. Colares, máscaras e estátuas flutuam num mar de artesanato que nos rodeia. Tem havido uma política de controlo e organização deste tipo de comércio ambulante e para tal foi criada a Feira de Artesanato, Flores e Gastronomia de Maputo. Tudo funciona de forma organizada e cordial onde os “bom dia amigo” acenam para as peças expostas ao Sol. 
Este é o local ideal para casar a ciência com a arte.
Queremos um batik original e em poucos segundos somos encontrados por um artista que agradece a encomenda.
“Não tem problema amigo” e o nosso logotipo passa a existir em fundo laranja. O Dicynodon volta à vida 250 milhões de anos depois, a duas dimensões e com novo brilho pintado num pano africano.
O almoço é matapa de carangueijo com chima e o caminho faz-se de volta para o Museu. Agora é tempo de encomendar as caixas para o despacho dos fósseis e de preparar mais uma apresentação.

June 28
This morning we visited the National Laboratory of Geology. Lots of room, good equipment and almost two dozens of technicians ready to analyze rock samples. There is lots of potential and the means to achieve our goals are getting closer.
Loitering in Maputo is to be surrounded of beauty.  Necklaces, masks, statues float on a handicraft ocean immersing us. The has been a very pragmatic policy of control and organization of this kind of commerce and, for that a Fair of Handicraft, Flowers and Gastronomy was newly installed.
This is the ideal place to marry science and art.
We want an original batik and in just a few seconds we are surrounded by an artist that is grateful by our order.
"There is no problem, my friend" and our logo is now artistically transformed with a new look given by an orange background. Dicynodon resurrects after 250 million years, in 2D, and with a African artistic flavor. 
Crab matapa with chima [cassava flour] for lunch and we go back to the museum. It is now time to order wooden boxes to ship the fossils and get another presentation ready.

Junho 27
Poder-se-ia fácilmente imaginar que uma expedição em África seria apenas um safari com sabor diferente. Leões, pneus furados no meio da savana, jipesatolados, histórias da Guerra Colonial ... Mas não. Tudo isto demora... nos anos anteriores caminhámos por trilhos de elefantes, tivémos que parar de escavardevido a queimadas descontroladas e tivémos mesmo que nos esconder de um enxame de abelhas... mas é regra que a primeira semana nada tem deaventura. Muito em breve iremos para o campo... simplesmente não conseguimos esperar! Mantenham-se atentos. 
Por agoraa coisa mais excitante que aconteceu conosco nada se parece a um ataque de leão. Hoje tivémos de pesar um bloco de 120 kg cheio de ossos com ... uma balança de 100 kg. 
Como fazê-lo? Afinal a Física funciona! 
Apostamos que o nosso professor do secundário ficaria orgulhoso. Para uma estimativa aproximada utilize o esquema abaixo e multiplique o número resultantepor dois.

June 27
Someone could easily anticipate that an expedition in Africa would be just a different flavor of a safari. Lions on the background, flat tires in the middle of the savanna, swamped jeeps, stories of the Colonial War... But no. It takes a while to get there... in previous years we did walk along elephants trails, we did had to stop digging due to the forest fires, we had to hide from a bee's swarm... but usually the first week is generally everything but adventure. We will go to the field very soon... we simply can't wait! Stay tuned. 
For now, perhaps, the most exciting thing it happened to us was nothing like a lion attack. Today we had to weight a 120kg block full of bones with... a 100kg-scale. 
How to do it? Physics works, after all! 
We bet our highschool teacher would get proud of us. For a rough estimate use the scheme below and multiply the resulting number by two.

Junho 26
Domingo na capital.
Maracujá fresco e sumo de banana acompanham as tradicionais torradas e café com leite.
O plano do dia é revisto enquanto o pequeno almoço é servido. Há que tratar de emails, burocracias atrasadas e começar a esboçar mais planos e novos projectos.
Almoço num restaurante halal, rústico e caseiro. Boa comida, bom ambiente mas onde é recomendável algum espírito de aventura. Sendo a comida muito boa e generosamente servida, trouxemos o caril para o hotel. À noite servirá de jantar.
A baixa de Maputo é uma zona quase fantasma ao domingo de manhã. Quase não vemos carros, não vemos lojas abertas e os passeios não se movimentam cheios de gente como nos dias de semana.
Os nossos minutos estão contados e todo o trabalho que pudermos avançar será feito ainda esta noite. Amanhã começa uma nova semana e temos de ter tudo pronto para que nada falhe.

June 26
Sunday in the capital.
Fresh passion fruit and banana juice is served with more western-like toasts and caffe latte.
The plan of the day is reviewed while the breakfast is being served. We gotta take care of emails and delayed bureaucracies, delineate more plans and new projects.
The lunch was at a halal restaurant. Good food and good environment, nevertheless it is recommended a little extra adventurous spirit. Food was genereously served and we ended up bringing food back to the hotel. It will serve as dinner tonight.
Maputo downtown is a ghost town in sunday morning. No cars, and we don't see any stores opened, the sidewalks are empty contrarily to what happens during weekdays.
Our minutes have to be judiciously scrutinized and all work we can do will be done. Tomorrow a new week starts and we gotta have everything ready.


Junho 25
Criar um inventário pode ser uma tarefa entediante... muito entediante... e após algum tempo encontramo-nos a ouvir canto gregoriano enquanto empacotamos fósseis com papel higiénico no meio de Moçambique. Pouco há a fazer, é melhor continuar a embrulhar até o Sol se pôr, até termos os pés frios e os mosquitos acordarem e começarem a morder.
Os cantos gregorianos foram interrompidos pelo som de tambores de uma festa distante. Hoje, Moçambique celebra o dia da idependência. A independência de um tempo colonial português deu agora lugar a uma cooperação productiva entre dois países unidos por laços históricos profundos.


June 25
Making an inventory can be a boring task.... veeeery boring... and after a while you find yourself listening to Gregorian music while wrapping fossils with toilet paper in the middle of Mozambique. Not much that we can do about it: better keep wrapping until the sun goes down, our feet get cold and the mosquitoes are all awake and happy biting us.
Our Gregorian songs were interrupted today by the sound of drums from a far distant party. Today Mozambicans celebrate the Day of Independence. The independence from the Portuguese colonial times is now replaced -- in our case -- by a fruitful cooperation between these two countries linked by historical bounds.

Junho 24
Segundo dia em Maputo, a cidade acorda cedo e temos pressa para encontrar caminho até ao Museu Nacional de Geologia.
Passamos os olhos pelo que nos envolve e um símbolo chama a atenção.
As farmácias apresentam, no interior de um hexágono, uma original serpente de Esculápio enrolada naquilo que parece ser um coqueiro com uma estrela no topo esquerdo da imagem. A transformação do bastão de Esculápio em coqueiro é bem mais divertida que a confusão mais comum com o caduceu de Hermes. Trocar um bastão com poderes de cura por uma planta e uma estrela é inovar e materalizar a metáfora. Trocá-lo por um símbolo do comércio é ofender a medicina e quem a pratica.
Após um ano reencontrámos os fósseis escavados em 2010, desta feita, bem guardados no museu. Há que desempacotar, fotografar, catalogar e acondicionar de forma a poder ser tudo transportado.
O dia avança. Como sempre, a “terra da boa gente” revela-se cheia de hospitalidade e é muito fácil encontrar um sorriso que nos aponte um restaurante ou a rua que procuramos.
E como é também claro, Portugal é bem mais difícil e a luta do Salimo continua para tratar do visto. Somos, todos, bem complicados.
A noite cerrada das seis da tarde denuncia o Inverno austral e por hoje regressamos ao hotel.

June 24, 2011
Second day in Maputo, the city wakes up and we rush to the National Museum of Geology.
We glance what surrounds us and there is a symbol that strikes our attention.
All pharmacies have an hexagon with, unexpectedly, an Asclepius snake twirling around a palm tree with a star on the top left. The transformation of the rod of Asclepius into a palm tree is much funnier than the Hermes' caduceus. To change a shaft with healing powers for a plant and a star is to innovate and materialize the metaphor. To change the shaft for a symbol of commerce is to offend medicine and physicians.
After a year we re-encountered the fossils dug in 2010, well kept in the museum. We had to unpack, photograph, catalogue everything so it can be shipped.
The day goes on. As always, the "good people land" [as Vasco da Gama called Mozambique when first arrived in the 15th century] is shown to us with great hospitality and it is very easy to find a smile that indicates us a restaurant or the street we are looking for.
Portugal is a bit more difficult, and Salimo keeps striving for his visum.
It is already dark at 6:00pm denouncing the austral winter, and we finally go back to the hotel.


Junho 23, 2011
Aterrámos... o repelente está posto e a profilaxia da malária está já em acção.
O Inverno começou ontem... no hemisfério Sul. Temos várias reuniões pela frente, muito trabalho de prospecção e muitos locais inexplorados serão visitados. 
O Projecto PalNiassa 2011 começou!

June 23, 2011
We've landed... the topical dose of insect repellent is on, the anti-malaria prophylactic is in action. The Winter has started yesterday... in the South Hemisphere. Lots of meetings are ahead of us, lots of prospection in unexplored sites will happen. Projecto PalNiassa 2011 is starting!
PalNiassa team 2011: Rui, Luis Costa Júnior, Ricardo, Salimo
View of Maputo harbor from the National Direction of Geology.
Comments
Anonymous
Anonymous
Cancel
You do not have permission to add comments.